De quem seriam os ganhos políticos do Distritão?


SOCIAIS & MÉTODOS

[com Carlos Augusto Mello Machado, doutor em Ciência Política, professor da UnB. Parceria com o Blog do Demodê]

Na discussão sobre a reforma política que mudaria a fórmula eleitoral, houve estranhamento recorrente sobre a posição de um partido específico: o PC do B encaminhou orientou seus parlamentares a votarem favoravelmente ao chamado “Distritão” (que se trata do Voto Único Não Transferível-VUNT). Essa orientação teve 100% de adesão de seus parlamentares na votação de ontem. O que causa estranhamento é a recorrente afirmativa de que o Distritão incentivaria uma lógica mais personalista. O que levaria o PC do B (que tem identidade partidária forte) a este comportamento?

No atual sistema são eleitos apenas os candidatos que participam de um partido ou coligação que, no conjunto, tenha ultrapassado o valor do quociente eleitoral – que é a divisão do total de votos válidos pelo número de cadeiras em disputa. Ou seja, grupos de valores políticos mais…

Ver o post original 682 mais palavras

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s